quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Possíveis cárceres e improváveis liberdades - 2


Alguns latidos são ouvidos e mais que isso, o som lamurioso que atribuímos ao choro canino, mas na cozinha da casa passam estes sons despercebidos até para os que os ouvem, pois a conversa está bastante animada e encorajada pela cerveja e muitos novos causos para serem compartilhados. Há crianças brincando em segurança por vários locais da casa, nunca, expressamente, fora de suas dependências, e assim familiares e amigos se reúnem para reverem-se em intimidade e com conforto, e podendo fazer e falar o que bem entendem sem incomodarem e nem serem incomodados por ninguém. Passam-se mais alguns minutos e pode-se ouvir com mais intensidade tanto os latidos quanto os chorosos apelos do cão. O menino aproxima-se com expressão de pedido de ajuda e querendo pegar pela mão e transportar o outro até onde seja necessário, e diz:

- Tio, vem logo, abre o portão. O cachorro ficou preso do lado de fora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário