segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Os bons e os outros dias.


Só mais um pouco,
do bom-dia descansado,
pra se lembrar do acaso,
pra esquecer os outros casos,
até que o dia fique solto.

Como se o dia fosse bom,
logo de manhã, ainda rouco,
põe-se um Zé, ou outro Tom,
fica tudo como um conto,
"a gente" sabe, faz-de-conta.

Sem caras indecisas,
sem perguntas objetivas,
sempre tem algum troco,
assim, de pronto,
na cara ou no bolso.
Sem buscar em outros pontos,
pra não achar as decisivas
palavras no próprio corpo,
pra não achar em outras vidas,

O dia que fique solto,
pra esquecer os outros casos,
pra se lembrar do acaso,
do bom-dia descansado,
só mais um pouco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário