segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

o dedo poema





amores e odes
vivem nos mesmos eleitos
que não elegia

Um comentário: